Notícias do Sindimoc

Comec e Governo do Estado farão estudo para implementação das câmeras de segurança

Curitiba, 24 de julho de 2017 | 20h56

Imprimir   Enviar por e-mail

 O Sindimoc participou, nesta segunda-feira (24), de reunião com os principais órgãos da área do transporte e da segurança pública de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp, Metrocard, Comec, Secretaria Segurança, Polícia Civil, Polícia Militar, Guarda Municipal e Secretaria de Defesa Social de CTNA). 
 
Realizada na sede da Comec, foi determinado que será feito um estudo por parte da Comec e do Governo do Estado para analisar a viabilidade de instalação de câmeras em todos os veículos de transporte coletivo de Curitiba e Região Metropolitana. Semana que vem acontece a primeira reunião do Comitê de Segurança no Transporte Coletivo
 
Também foi composto um Comitê de Segurança no Transporte Coletivo de Curitiba e Região Metropolitana, com representantes de cada órgão presente à reunião. A primeira reunião será na semana que vem. A intenção inicial será de encontros semanais, para avanço da organização e encaminhamento das medidas de segurança mais emergenciais. 
 
Campanhas de orientação para trabalhadores e usuários
 
Foi determinado o início de uma campanha de orientação para trabalhadores e usuários do transporte coletivo, visando ensinar procedimentos de segurança para situações de risco. 
 
Além disso, foi também estabelecida uma campanha que visa orientar os usuários para fazer o Boletim de Ocorrência sob qualquer situação, a fim de facilitar a programação tática de ações da Segurança Pública.
 
Duas capitais brasileiras já implantaram as câmeras de segurança
 
Desde de 2015, a cidade de Porto Alegre possui um sistema de monitoramento nos veículos da frota, progressivamente. Até o final de 2017, 100% dos 1700 ônibus estarão equipados com câmeras de segurança. Na capital do Rio Grande do Sul, o número de arrastões diminuiu em até 80%. 
 
São quatro câmeras internas e seis nos veículos articulados, com visão noturna e alta definição. Elas registram imagens do interior dos coletivos a partir de pontos estratégicos: de cima do banco do motorista, entre o cobrador e a porta intermediária, nos fundos do veículo. e uma voltada para a parte externa, localizada sob o pára-brisa.
 
Segundo Sandro Abbade, presidente do Sindicato Dos Trabalhadores Em Empresas De Transporte de Porto Alegre, “motoristas, cobradores e passageiros notaram a diferença e se sentem mais protegidos”. 
 
Todas as ocorrências gravadas desde o começo da operação são encaminhadas à polícia e anexadas aos boletins de ocorrência com maior agilidade e praticidade. Além do aumento da segurança, as câmeras facilitam o planejamento e a circulação de novos carros, além de identificar com maior amplitude os problemas nas paradas de ônibus e na sinalização.
 
Outra capital brasileira já segue o mesmo caminho desde 2013. As empresas que prestam serviço de transporte público em Belo Horizonte implementaram mais de 12 mil câmeras - quatro em cada um dos 3 046 veículos que circulam. 
 
Com uma redução que chegou a 90% no número de arrastões, as imagens gravadas podem ser visualizadas a qualquer momento nas garagens das viações e no centro de controle operacional do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setra-BH).
Compartilhe esta notícia
   
 

Comente esta notícia

Nome

E-mail

Empresa

Digite o código ao lado

código captcha

Comentário (máximo 600 caracteres) | Restam: