Notícias do Sindimoc

Para encerrar o Setembro de Luto, motoristas e cobradores se vestem de preto ao longo de toda semana

Curitiba, 29 de setembro de 2017 | 15h14

Imprimir   Enviar por e-mail

Finalizando as ações do mês de lutas e LUTO, motoristas e cobradores utilizaram uniforme preto ao longo de toda semana.

 

A ação é em protesto contra a tamanha inseguridade vivenciada diariamente no transporte coletivo de Curitiba e Região Metropolitana.

 

As três reivindicações da categoria são:
 

- Câmeras de segurança com monitoramento online 24 horas, integrado aos órgãos de segurança pública (igual em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e em Belo Horizonte, Minas Gerais, onde sistema garantiu redução de 90% dos arrastões)
 
- Criação da Delegacia Especializada em Crimes no Transporte Coletivo
 
- Mais viaturas da Guarda Municipal dedicadas exclusivamente ao patrulhamento do transporte coletivo



Setembro de Luto

 

Desde que foram anunciadas as ações do Setembro de Luto, no dia 4, realizamos paralisações de uma hora nos dias 4, 5 e 11 e assembleias nas garagens nos dias 5, 6 e 11.

 


Após ameaça dos patrões, os trabalhadores mudaram de estratégia, fazendo panfletagem nos terminais e um grande ato na Rui Barbosa com caminhada pela XV de Novembro no dia 20 de setembro.

 


Mobilizações surtiram efeito

 

Com a initerrupta ação dos trabalhadores, ao passo que diariamente os casos de arrastões e violência apontavam na mídia, conseguimos chamar atenção dos órgãos de segurança para nossa causa.


No dia 15, conseguimos uma Audiência Pública foi convocada na Câmara pela Comissão de Direitos Humanos, Defesa da Cidadania e Segurança Pública.


Vereadores e representantes da segurança na cidade mostraram estar interessados em ajudar nossa luta. 

 

Já no dia 26, participamos de uma reunião com o secretário de Segurança do Estado do ParanáWagner Mesquita, onde ficou claro que as reivindicações dos trabalhadores estão tendo cada vez mais força para serem implementadas de fato.

Junto à Urbs, Comec, Guarda Municipal e Polícia Militar, o Sindimoc discutiu alternativas que visem trazer mais segurança para os trabalhadores e debateu as próximas ações coordenadas contra arrastões nos ônibus. 

Os representantes da segurança de todos os lados assumiram e reiteraram a importância do monitoramento online e 24 horas, mostrando como a agilidade é fundamental para o bom trabalho da polícia e deixando claro que o foco dos assaltantes tem sido os celulares e demais pertences dos passageiros e trabalhadores, e não o caixa do cobrador.

Para o presidente Anderson Teixeira, "nossas demandas estão a cada dia um passo mais próximas de serem atendidas. Vamos continuar lutando dia a dia para que pais e mães de família possam sair de suas casas sem medo de não voltar".


Estudo de viabilidade das câmeras

Fruto da pressão que os trabalhadores têm feito e do Comitê Permanente de Segurança no Transporte Coletivo - criado após pressão do Sindimoc com ato na Rui Barbosa por Filmadoras Já -, no dia 15 de setembro a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) começou um estudo para verificar a viabilidade de implementação das câmeras de segurança.

São 10 empresas oferecendo seus serviços de tecnologia para teste. Dentro de 30 dias, Urbs e Comec devem apresentar uma resposta ao Comitê, e assim daremos prosseguimos a implementação.

Chega de violência e morte no transporte coletivo!

Galeria de imagens da notícia

Compartilhe esta notícia
   
 

Comente esta notícia

Nome

E-mail

Empresa

Digite o código ao lado

código captcha

Comentário (máximo 600 caracteres) | Restam: