Notícias do Sindimoc

Imagem

Emprego formal não vai reagir com força em 2019, diz banco

Curitiba, 01 de outubro de 2018 | 12h31

Imprimir   Enviar por e-mail

Alto índice de emprego informal e desalento deverá retardar retomada

A taxa de desemprego no Brasil não terá uma queda acentuada em 2019, segundo relatório do banco japonês MUFG. 

A retomada no mercado de trabalho formal será lenta, pois há um alto contingente de trabalhadores informais que ainda terão de passar por uma migração para empregos com carteira assinada, avalia a instituição. 

Além disso, pessoas que hoje desistiram de procurar uma vaga possivelmente voltarão ao mercado de trabalho, elevando a taxa de desemprego.

“Mantemos nossa visão de que um aumento mais forte de empregos com carteira assinada é um passo fundamental para garantir um crescimento mais sólido do consumo das famílias”, diz o relatório, que também defende a realização de reformas estruturais pelo próximo governo.

O desemprego no Brasil ficou em 12,1% no trimestre encerrado em agosto, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

O resultado é um avanço em relação ao trimestre anterior (quando a taxa era de 12,7%) e perante o mesmo período de 2017 (quando era de 12,6%). 

Ainda assim, a retomada é considerada lenta por analistas. Além disso, o número de pessoas que desistiram de procurar trabalho atingiu um patamar recorde, 13,2% maior que há um ano.

 

Fonte: Folha de São Paulo

Compartilhe esta notícia
   
 

Comente esta notícia

Nome

E-mail

Empresa

Digite o código ao lado

código captcha

Comentário (máximo 600 caracteres) | Restam: