Notícias do Sindimoc

Imagem

Solidariedade - Vamos todos ajudar a cobradora Cleonice a salvar a vida do filho

Curitiba, 28 de outubro de 2015 | 14h54

Imprimir   Enviar por e-mail

Cleonice Maria Monteiro, cobradora da São José Filial, enfrenta uma batalha pela vida de seu filho, Alisson

 

Hoje o Sindimoc vem até você pedir o apoio para uma companheira de trabalho, a cobradora Cleonice Maria Monteiro, que está enfrentando uma grande batalha. Seu filho, Alisson Rodrigo Monteiro dos Santos, de 28 anos, foi diagnosticado com leucemia no começo desse ano, e desde então enfrenta os graves sintomas dessa doença que não tem cura. Precisa, urgente, de um transplante de medula, pois as terapias não surtiram efeito necessário. 

Com crises de enxaqueca e náuseas, Alisson não pode fazer nada além de esperar. O que ele espera é um doador de medula óssea compatível, para que sua doença seja tratada. Na família não há ninguém com medula compatível. 

A leucemia é um câncer muito comum na infância, mas como no caso de Alisson, também pode se manifestar em adultos.  As leucemias têm origem na medula óssea, o tutano dos ossos, onde é normalmente produzido o sangue. A doença se manifesta por meio de dor nos ossos ou nas articulações, palidez, manchas roxas, sangramentos, febre e abatimento.

Infelizmente ainda não foi encontrado um doador com a medula óssea compatível com a de Alisson, o que impede o tratamento da doença, já que a leucemia que Alisson tem não pode ser tratada com nenhum tipo de cirurgia ou quimioterapia.  Seu maior sonho agora é viver de forma saudável, seguir com seus projetos e ajudar a pessoas como ele.

Alisson tem recebido ajuda de muitas pessoas, e esse ano realizou um de seus maiores sonhos, pular de paraquedas.

Pouco tempo

Como não há tratamento Alisson pode apenas esperar por um doador, o problema é que sem tratamento a doença se agrava e fica cada vez mais difícil de suportar seus sintomas.

Cleonice, mãe de Alisson, lembra das dificuldades recentes que ele tem enfrentado. "Ele foi demitido da empresa onde trabalhava porque foi muito ao médico, e como pegava muitos atestados, acharam que era algum tipo de brincadeira, e acabaram demitindo ele"

O espírito de cooperação e solidadriedade deve ser maior

Cleonice é cadastrada como doadora de órgão há muitos anos e desde o começo desse ano também faz parte do banco de doadores de medula óssea. Ela lembra o quanto atitudes como essa são simples e muito importantes.

"A gente tem que entender que não vai nos fazer falta, é apenas um pouco de sangue que estamos dando. Mas para pessoas como o Alisson, essa atitude pode fazer muita diferença".

Como ajudar

Para se tornar um doador de Medula Óssea é muito simples. Você apenas precisa tirar 5 ml de sangue no Hemocentro da sua cidade! Como se fosse um exame de rotina.

 Essa pequena quantidade de sangue será utilizada para que seja verificada a histocompatibilidade da sua medula, que ficará guardada no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea.

 A probabilidade de alguém precisar da sua medula é de 1 para 100 mil. Você doará aproximadamente 30% da sua medula no Osso da Bacia, nada tendo a ver coma medula espinhal. Você recupera esses 30% de 5 a 7 dias.

 A Medula Óssea é um dos poucos “órgãos” que você pode doar quantas vezes quiser sem nenhum tipo de efeito colateral.

Passo a passo

- Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, sob anestesia, e se recompõe em apenas 15 dias.

- Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5 a 10ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.

- Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante.

- Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação.

- Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de UMA EM CEM MIL!

- Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.

- A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo.

- É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato.

 

 

Hemobanco Curitiba 

(41) 3023-5545

Tv. João Prosdócimo, 145 - Alto da XV, Curitiba - PR
CEP 80.730-420
 
Segunda à sábado das 8:00 às 13:30

Capacidade máxima de atendimento por dia de 100 doadores.

Para mais informações acesse:

http://www.hemobanco.com.br/

Para falar diretamente com a cobradora Cleonice Maria Monteiro:

(41) 9620-6007
Compartilhe esta notícia
   
 

Comente esta notícia

Nome

E-mail

Empresa

Digite o código ao lado

código captcha

Comentário (máximo 600 caracteres) | Restam: