Notícias do Sindimoc

Imagem

A agonia de todos os meses: trabalhar e não saber se vai receber

Curitiba, 09 de novembro de 2015 | 14h13

Imprimir   Enviar por e-mail

Motoristas e cobradores não aguentam mais essa história de salário atrasado

Todos os meses você trabalha e espera o seu pagamento. Seja para pagar dívidas, se alimentar ou sustentar a família, ou até, tudo isso e mais um pouco.

Uma realidade simples, em que você mostra serviço e é recompensado. Bom, essa prática simples tem se tornado um dos maiores dramas dos motoristas e cobradores de Curitiba e região nos últimos meses.

Assim como já dissemos: “parece até um dvd, que dá replay todo mês em datas de pagamento”.  Um dvd com um filme sádico e cruel, onde a empresa não paga os salários e os trabalhadores ficam sem ter onde se apoiar.

Deixar o trabalhador apenas na expectativa de receber o que é seu por direito é tirânico. Afinal, esse salário é o sustento de muitas famílias, e é por causa dele que essas famílias podem pagar dívidas e fazer compras, movendo a economia do país.

O desrespeito de algumas empresas de ônibus, que atendem ao transporte coletivo, é inacreditável.

E a história se repete. Até o momento, quatro empresas ainda não pagaram o salário completo de seus funcionários. São elas: São José – Filial Curitiba, CCD Transporte Coletivo, Tamandaré Matriz e Filial Curitiba

Conversa antiga

Não é de hoje que o salário dos trabalhadores custa a chegar. Depois da abertura de um indicativo de greve, que poderia ter afetado um dos maiores exames nacionais de educação, O ENEM, parece que as empresas ainda não entenderam o recado.

Em agosto, motoristas e cobradores que fazem as linhas Santa Cândida/Capão Raso bloquearam a entrada e a saída do terminal Santa Cândida, em atitude desesperada em nome dos seus salários e de seus direitos. Após cerca de duas horas de protesto, os ônibus no Santa Cândida foram liberados e no dia seguinte o adiantamento salarial foi feito. 

Compartilhe esta notícia
   
 

Comente esta notícia

Nome

E-mail

Empresa

Digite o código ao lado

código captcha

Comentário (máximo 600 caracteres) | Restam: