Notícias do Sindimoc

Imagem

Com mobilização da categoria, motoristas e cobradores garantem primeira parcela do 13º salário

Curitiba, 01 de dezembro de 2015 | 13h34

Imprimir   Enviar por e-mail

Presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, em assembleia com trabalhadores da Viação Cidade Sorriso Ltda
 
Após iniciar greve nas empresas que não haviam depositado a primeira parcela do 13º salário, na madrugada dessa terça-feira (1), motoristas e cobradores de Curitiba e Região Metropolitana garantiram o pagamento integral às 12 horas para os trabalhadores de todas as empresas. Contudo, o problema do transporte coletivo na capital paranaense não está resolvido. Não houve após dois dias de negociação nenhuma sinalização de que trabalhadores terão salários de novembro, dezembro e janeiro pagos em dia, assim como a segunda parcela do 13º salário. Houve paralisação nas empresas Sorriso, Araucária, Tamandaré, São José e Campo Largo.
 
O presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, avalia que o caos no transporte coletivo está instalado por questão de má gestão e que o sindicato não deixará a falta de entendimento entre empresas e Urbs afetar os direitos dos trabalhadores. “O problema é de anos e estamos no limite, não vamos aceitar qualquer atraso de pagamentos devidos aos trabalhadores. Abriremos preventivamente novo indicativo de greve e se houver novos atrasos entraremos mais uma vez em greve”, afirma o presidente.
 
Novas negociações
 
Após reunião no Ministério Público do Trabalho, Urbs e Sindicato das Empresas do Transporte Coletivo (Setransp) definiram novas reuniões entre si para avaliar custos e planilhas do transporte coletivo. O Sindimoc não foi convidado para analisar conjuntamente os gastos do sistema. “Nós prezamos pela transparência e é isso que esperamos tanto das empresas quanto da Prefeitura, já que a questão da tarifa técnica tem afetado a categoria. De qualquer forma, cumpriremos com a deliberação da assembleia da nossa categoria e entraremos com pedido na Secretaria da Fazenda para que se torne claro quais são os custos e os lucros do transporte coletivo de Curitiba e Região”, ressaltou o presidente.
 
 

Galeria de imagens da notícia

Compartilhe esta notícia
   
 

Comente esta notícia

Nome

E-mail

Empresa

Digite o código ao lado

código captcha

Comentário (máximo 600 caracteres) | Restam: