Sindimoc - Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana » Notícias da grande imprensa


Cobradora de ônibus é multada por usar gorro vermelho, em Curitiba

Curitiba, 05 de julho de 2019

De acordo com prefeitura, regulamento permite que funcionários usem acessórios de 'cores discretas'. Sindicato afirma que empresas não fornecem toucas para colaboradores.

Uma cobradora de ônibus de Curitiba foi multada pela Urbanização de Curitiba (Urbs) por usar um gorro vermelho durante o expediente.

A funcionária, que trabalha na linha Interbairros III, foi multada em R$ 50 no dia 12 de junho, no Terminal Santa Cândida, sob a justificativa de "não se apresentar corretamente uniformizada" e estar com um gorro "vermelho vivo".

Segundo a prefeitura, há um regulamento no sistema de transporte público de Curitiba que permite que os funcionários usem gorros, bonés e boinas desde que não tenham nada escrito e que sejam de "cores discretas, como, por exemplo, preto, cinza ou azul marinho".

No dia em que a cobradora foi multada, os termômetros da cidade registravam 10 graus.

De acordo com o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), os cobradores recebem apenas jaqueta e camisa para trabalhar.

Segundo o sindicato, o salário líquido dos profissionais é de cerca R$ 1,2 mil, mais R$ 600 de vale alimentação.

"A partir do momento que a pessoa não tem uniforme adequado, por mais que sejam exigidas as cores, ela tem o que tem. De manhã vai estar frio, e ela vai pegar o gorro vermelho, azul ou cor-de-rosa, independente da cor, pra se proteger do frio", afirmou o diretor do Sindimoc, Ricardo Ribeiro.

De acordo com Ribeiro, o sindicato vai formular uma defesa para apresentar a Urbs, pedindo para cancelar a multa.

"Se ela não tem o agasalho dado pela empresa, como vai ter uma cobrança neste sentido?", disse o diretor do Sindimoc.

A prefeitura informou que a Urbs faz as normas e fiscaliza o cumprimento delas, mas que cabe à empresa fornecer o uniforme ao funcionário.

O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) informou que "os funcionários sabem das regras", que é possível apresentar uma defesa e que a multa ainda pode ser substituida por uma palestra ou um curso.

A empresa Transporte Coletivo Glória informou que receberá os argumentos da cobradora e os encaminhará para defesa junto à Urbs.

 

Fonte: G1